Absenteísmo e afastamento levado a zero. Case de sucesso na construção civil.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Absenteísmo é um indicador para sinalizar o percentual de ausência ao trabalho em relação ao efetivo total do empregado, o que resulta em queda da produtividade das instituições e, consequentemente, maior custo para a empresa (direto e indireto).

O índice aceitável de absenteísmo seria em torno de até 1,0%, porém em algumas atividades especificas, como no caso da construção civil, os índices de absenteísmo podem atingir níveis elevados, ou seja, 3 a 4%. No caso de empresas que apresentam uma taxa de ausência de funcionários maior que 5%, deve ser considerado como um alarme de que algo não está alinhado e principalmente que seus custos precisam ser recalculados considerando a necessidade de 5% a mais de mão de obra, além dos custos de máquinas paradas, pedidos em espera e clientes insatisfeitos.

Os principais motivos de afastamento estão relacionados ao estresse, mas principalmente a danos no sistema musculoesquelético. A dor lombar é hoje um grande fator de absenteísmo e são os homens que tem maior propensão a desenvolver lombalgias durante o trabalho, provavelmente por terem mais atuação em atividades com sobrecarga muscular. Trabalhos que consistem na elevação de pesos frequentes causam maior número de lesões na coluna. Podemos citar trabalhadores da construção civil.

Segundo dados da Previdência Social, somente no primeiro trimestre de 2016 foram mais de 24 mil afastamentos, em média, 269 trabalhadores afastados por dia por causa de problemas na coluna. Um afastamento a cada cinco minutos.

Programas que visam melhorar a ergonomia dentro do ambiente de trabalho são fundamentais. Empresas ou corporações que adotam medidas como ajuste de cadeiras, mesas e suportes de computadores, bem como programas de alongamento periódicos, apresentam menores incidências de dores lombares em seus funcionários.

Em busca desta redução de absenteísmo e afastamento, implantamos um programa de qualidade de vida na construção de um condomínio em Salvador-Ba, uma obra da Pelir Engenharia.

 

A atividade

O programa foi implantado em julho de 2014 com a implantação das seguintes atividades:

  • Avaliação Postural individualizada

Foi feita avaliação postural completa de todos os funcionários da obra. Através de coleta de imagens, o corpo técnico da Bem Saúde avaliou individualmente, e apresentou posteriormente o resultado da análise com orientações a cada um. O resultado desta atividade foi interessante tomamos medidas específicas de prevenção, tratamento ou orientação, a depender do resultado. Nesta etapa fizemos diagnóstico funcional de 2 profissionais que eram deficientes e não estavam inclusos na cota exigida por lei.

  • Avaliação dos Índices de Qualidade de Vida

Com questionários os funcionários respondiam perguntas sobre qualidade de vida, saúde e estresse. O mesmo questionário foi reaplicado ao final do período de acompanhamento.

  • Ginástica Laboral

As atividade de ginástica eram realizadas em 2 turmas com frequência semanal. Envolvia atividades de alongamento, fortalecimento e integração.

  • Blitz Ergonômica

Durante um dia por semana os funcionários eram acompanhados por fisioterapeutas durante suas execuções da atividade laboral. Assim nossa equipe orientava sobre ajustes ergonômicos e sugeriam adaptações quando necessário.

  • Distribuição de Cartilhas

Toda a equipe recebia uma cartilha de atividades diárias para realização dos exercícios em casa e com os familiares. Os exercícios eram orientados durantes o dia de atividade.

____________________________________________________________________________________________

Resultado

No período entre janeiro e abril, que antecipou a implantação do programa foram apresentados 40 atestados e 1 afastamento das atividades, todos relacionados as queixas osteo musculares, gerando um custo direto de R$23.377,00 para a empresa. Entre junho e novembro, com a implantação do programa zeramos os índices de absenteísmo.

Após o período de execução da atividade os benefícios comprovados foram:

  1. Melhora da auto estima do funcionário
  2. Redução do absenteísmo
  3. Menos gastos por afastamento e turn over
  4. Redução de dores cervical e lombar no grupo
  5. Redução do estresse
  6. Melhora da consciência corporal
  7. Aumento no número de praticantes de atividade física

A sua empresa está passando por situação similar. Agende um horário com a equipe Bem Saúde Brasil para avaliação detalhada das necessidades.

Escrito por Vanessa Lessa – Diretora Geral;

Siga a Bem Saúde Brasil nas redes sociais (Linkedin, Instagram, Youtube, Facebook)

Para mais novidades sobre temas de saúde e qualidade de vida, promoções e materiais grátis, cadastre-se abaixo:


6 thoughts on “Absenteísmo e afastamento levado a zero. Case de sucesso na construção civil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *