Outubro rosa. Se informe e compartilhe sobre o câncer de mama.

Outubro Rosa, pra quem é esta campanha?

Digamos que se você tem peito precisa ler este post. Diferente do que muitos pensam o câncer de mama atinge mulheres e homens também. Com uma frequência muito menor, sim, mas estes também podem ser acometidos pelo câncer de mama. Por isso defendemos que todos participem da corrente e compartilhem informação, para que cada vez mais pessoas façam a prevenção correta.

Ler, entender e compartilhar é fundamental, pois você pode não ter mas a pessoa do lado tem em não sabe. A informação precisa chegar a todos para reduzirmos cada vez mais os casos de morte por câncer de mama.

Mas, e o que é o câncer de mama?

Está é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor, neste caso malígno. Existem vários tipos, alguns se desenvolvem de forma mais rápida e outros mais lentos.

Acredito que você que lê este post já conheceu ou soube de alguém que descobriu um câncer e logo depois faleceu. Nesta situação pode ter descoberto tardiamente, assim como o tumor pode ter se desenvolvido tão rápido que não foi possível o tratamento.

O câncer de mama tem cura?

Existem diversos tratamentos para o câncer de mama, e inclusive é oferecido na rede pública através do Sus (Sistema Único de Saúde), mas o tratamento pode levar a cura ou não. Isto vai depender da evolução de cada paciente.

Existem vários  tratamentos já disponíveis, que dependem do tipo e do estágio da doença:

Tratamentos Locais. 

A terapia local visa tratar um tumor localmente, sem afetar o resto do corpo. Mais indicados para câncer em estágios iniciais. Os tipos de terapia local utilizados para o câncer de mama incluem:

       Cirurgia

       Radioterapia

Tratamentos Sistêmicos.

A terapia sistêmica se refere ao uso de medicamentos que podem ser administrados por via oral, ou diretamente na corrente sanguínea para atingir as células cancerígenas em qualquer parte do corpo. Dependendo do tipo de câncer de mama, diferentes tipos de tratamentos sistêmicos podem seu usados, incluindo:

       Quimioterapia

       Terapia hormonal

E quais são os estágios do câncer de mama?

O câncer de mama é dividido em quatro estágios, conforme a extensão da doença, que vão do 0 ao 4:

Estadio 0: as células cancerosas ainda estão localizadas, por isso o problema é quase sempre curável

Estágio 1: o tumor mede até 2cm e começa a atingir os tecidos vizinhos.

Estágio 2: Pode ser considerado um câncer invasivo e mede de 2 a 5cm, pode ou não ter se espalhado para a axila.

Estágio 3: Mede mais de 5cm, é considerado um câncer invasivo. Já se espalhou nos seios e pode ter raízes na axila.

Estágio 4: O tumor saiu completamente da mama e já atinge outros órgãos. Os mais comuns são ossos, fígado, pulão e cérebro.

ATENÇÃO: Quanto mais cedo o câncer for detectado, mais fácil será curá-lo. Se no momento do diagnóstico o tumor tiver menos de 1 centímetro (estágio inicial), as chances de cura chegam a 95%.

Quais os fatores de risco?

Os principais são:

  •  Génetica (histórico familia
  •  Tabagismo
  • Sedentarismo
  •  Obesidade
  •  Menopausa tardia
  • Consumo excessivo de álcool
  • Não ter filhos e não amamentar
  • Uso de contraceptivos

Cerca de 30% dos casos de câncer de mama poderiam ser evitados por prevenção. Que tal começar agora?

A detecção precoce é a melhor estratégia e a principal arma para sair vitoriosa dessa luta. Faça seus exames!

Quais exames podem ser feitos?

Geralmente as pessoas que descobrem o câncer de mama, o fazem através do auto exame que é o exame realizado através de palpação e observação das mamas, assim como atravém da mamografia que é um exame de imagem que deve ser feito nas mulheres a partir dos 40 anos.

Após detectado o tumor a/o paciente deve realizar a biópsia para análise e diagnóstico final do tipo de tumor.

A cirurgia

Após o diagnóstico, é realizada a cirurgia para a retirada do tumor e em algumas situações, que a depender do estágio ocorre a retirada parcial ou total da mama.

 

Fonte: http://blogaodefisio.blogspot.com/2013/04/mastectomia.html

Os problemas acabam ai?

Não. Após a cirurgia é necessário acompanhamento médico e muito cuidado com o membro superior do lado operado. Quando é necessária a retirada dos linfonodos, muitas mulheres desenvolvem o que chamamos de linfedema.

O linfedema é um acúmulo de um fluído corporal, conhecido como linfa, nos tecidos moles do corpo. No caso do pós operatório de câncer de mama, ele pode ocorrer quando os linfonodos do lado afetado  são retirados.

O linfonodo e o sistema linfático tem a função de manter o nível de líquidos do corpo em equilíbrio e defender o organismo contra infecções. Com a retirada de um grupo de linfonodos por conta da cirurgia, este sistema sofre desequilíbrio e pode gerar complicações.

 

Fonte: http://drfernandovascular.com.br/tratamentos-cirurgia-vascular/linfedema/

Quer saber mais sobre o câncer de mama e a campanha outubro rosa?

A Bem Saúde Brasil oferece palestras participativas e dinâmicas sobre a temática para a sua equipe. São diagnosticados no mundo 1,7 milhão de novos casos, e pode sim ser ser alguém próximo a você ou da sua equipe. Por isso entre nessa corrente e compartilhe informação. Conte com a Bem Saúde.

Gostou do artigo? Leia também:

10 dúvidas que toda gestante tem sobre drenagem

Pilates na terceira idade. Quais os benefícios? 

Prevenção – o melhor remédio para doenças ocupacionais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *